Fim de semana para os nerds em SBC

No próximo fim de semana, 27 e 28 de abril, acontecerá o SBC Geek, uma série de eventos voltados para os jovens jogadores de RPG, fãs de animação japonesa e usuários de tecnologia. Tudo isso no Centro Cultural Baeta Neves.

O evento começa às 20 horas do sábado, com um encontro de jogadores de RPG. No local também se apresentarão cosplayers com direito a troca de fantasias, e também uma feira de fanzines, onde todos os interessados poderão apresentar suas revistas.

A partir das 22 horas uma série de animações será apresentada, com destaque para Animatrix, uma série de curtas no universo de Matrix.

No dia seguinte haverá um flashmob com todos vestidos com capas amarelas, uma referência ao episódio do Pica-Pau em que ele desce as cataratas do Niágara em um barril. Os participantes se reunirão no Centro Cultural do Baeta e caminharão até o Parque de Esportes Radicais.

Também haverá palestras e apresentações de artes marciais.

Viaduto Moisés Cheid será concluido

Você lembra daquele viaduto que leva nada a lugar algum sobre a Anchieta, perto da entrada do Demarchi, não lembra? Se você mora em São Bernardo, então provavelmente sabe que esse viaduto faz parte do folclore da cidade. Um exemplo de dinheiro público mal gasto, levou 36 anos até que uma administração resolvesse torná-lo útil.

Viaduto Moisés Cheid

Ainda vão ser gastos 12 milhões de reais na conclusão da obra que deve levar oito meses. Serão construidas as alças de acesso dos dois lados, além de pavimentação e acabamento. A estrutura, apesar das décadas de descaso, ainda é suficiente, segundo a prefeitura.

Segundo a matéria do Diário do Grande ABC, haverá um acesso do centro próximo ao terminal Ferrazópolis para quem quer ir para o Demarchi.

O mito do respeito do Brasil no exterior

Sinto uma certa pena daqueles que para defender o governo de Lula citam o tal respeito que o Brasil têm no exterior, que não existiria no passado. Esse mantra das esquerdas não passa de uma mistificação, uma frase de efeito usada como argumento que acabaria com qualquer discussão a respeito da qualidade da administração federal como um passe de mágica.

Na América do sul, o ex-presidente Lula causou problemas com sua política externa ao tentar buscar espaços para reforçar a hegemonia na região. Alguns países se queixaram do imperialismo brasileiro com a diplomacia norte-americana, conforme documentos vasados pelo Wikileaks confirmam. Um misto de arrogância com despreparo e falta de noções básicas do significado de democracia causaram esse imbroglio.

Somado a isso há o comportamento do ex-presidente que, por causa de um complexo quase de Édipo, queria se contrapor ao seu antecessor no cenário internacional, e causava constrangimentos ao discussar com líderes como Angela Merkel. Sua posição condescendente com o Irã demonstrou toda incompetência típica de quem assume com convicção um cargo para que não se preparou, mas sem ter consciência de suas deficiências.

Resta esperar que o atual governo seja mais pragmático ao menos nesse aspecto da administração. Chamar ditadores que desrespeitam direitos humanos achando que tá abafando não é atitude de quem vence eleições democráticas. Quem sabe no futuro o país não volte a ser respeitado por sua política externa?

O que quer o movimento por passe livre?

Os últimos dias foram tensos na cidade de São Paulo. Manifestantes sob comando do Movimento Passe Livre entraram em choque com a polícia militar na prefeitura da capital de SP.

Não é possível negar que esse as lideranças movimento usa estudantes para atingir seus objetivos políticos. Sua intenção é promover a revolução no sistema de transportes, estatizando as empresas que oferecem o serviço público, e sem que haja indenização aos proprietários. Uma mini-revolução socialista, por assim dizer. Ignoram, no entanto, que o que falta para que haja redução dos valores das passagens na cidade não é o excesso de capitalismo, mas sim a falta crônica de concorrência verdadeira, que poderia inclusive puxar para cima os padrões de qualidade dos transportes. Ignoram que a qualidade dos serviços em geral se deterioram quando passam a ser controlados por agentes públicos, que nem sempre estão

A reação mais comum das pessoas nesse caso é verociferar impropérios contra os policiais. Mas será que esse é o melhor meio de reinvindicar direitos? No site eles dizem ser contra a criminalização dos movimentos sociais. Mas é justo não reprimir indivíduos que tentam depredar propriedade pública? Quem deve ser responsabilizado por sua iniciativa de agir com violência contra agentes públicos?

O aumento foi alto, de 11%. Mas nem por isso tentar invadir edifícios públicos é a melhor opção para se fazer ouvido. Boas pessoas estavam lá, achando que a manifestação era válida, mas ignorando que sempre há aqueles infiltrados que querem se passar por vítimas ao serem atacados pela polícia, nem que para isso tenham que usar provocação para conseguir posar de mártires. Os vereadores Juliana Cardoso, Antônio Donato e José Américo, do PT de São Paulo, agiram cheios de boas intenções, conforme declararam aos jornalistas. Porém, sua atitude não pode ter contribuido para aumentar a confiança aos manifestantes, transmitindo a sensação de que poderiam transgredir as leis sem que fossem reprimidos?

Tragedia no Rio de Janeiro

É óbvia a constatação de que as autoridades públicas têm sido, no mínimo, incompetentes ao lidar com a trajédia de proporções diluvianas na serra do Rio de Janeiro. Sérgio Cabral, queridinho da imprensa, têm sido poupado de críticas, mas não há como evitar associá-lo à total falta de coordenação nas atividades de ajuda humanitária. Donativos simplesmente não chegam a quem precisa. Dinheiro público é apenas uma promessa de uma presidente que tenta demonstrar que serve ao cargo a que foi eleita. Corpos se acumulam nas ruas, em estado de putrefação, antes que os próprios moradores da região os enterrem para evitar o mau cheiro.

É lamentável constatar que as pessoas comuns é que ajudam quem mais precisa nesse momento de dor e desespero. E que boa vontade apenas não conta: têm que vencer a burocracia que a impede de chegar a quem já perdeu tudo: helicópteros do exército passaram o dia parados na Granja Comary, local de treinamento da CBF, para desespero até mesmo das equipes que os operam.

Os meios de comunicação solicitam à sociedade que ajudem de diversas maneiras, mas pecam passando ao largo do essencial, ao não pedir à sociedade que pressione os representes políticos a fazerem aquilo para que foram eleitos, ao invés de se deterem em uma avalanche de incompetência institucionalizada.

Muro do Cenforpe – A tragédia anunciada

Há alguns meses o reporter Danilo Gentili foi agredido pela Guarda Civil de São Bernardo do Campo por mostrar que havia risco de desabamento com chance de morte de crianças. Este mesmo reporter entrevistou o prefeito Luiz Marinho, que se comprometeu a concluir a obra em alguns meses, e mais que isso, garantiu que não havia riscos de que alguma criança se machucasse. Pois bem. Passados quatro meses do imbróglio, diversas salas são invadidas por lama que desceu da obra em um dia de chuva. Por sorte, isso aconteceu pela noite.

A matéria no Diário do Grande ABC mostra mais detalhes a respeito deste trágico incidente.

Repetindo: o prefeito Luiz Marinho garantiu que não havia riscos.

Frank Aguiar, a vergonha de São Bernardo

É uma vergonha a candidatura a deputado federal do ex-vice prefeito Frank Aguiar. Há dois anos, ele havia abandonado esse mesmo cargo para ajudar a eleger Luis Marinho em uma das campanhas mais caras do país, questão de honra para o presidente Lula, que tem suas origens como sindicalista na região.

Com essa candidatura, ele faz pouco da população que o elegeu na cidade. Diz que tinha saído só de brincadeirinha do congresso, e que não era realmente séria a idéia de assumir um cargo em São Bernardo do Campo.

Como cidadão, eu sinto vergonha da atitude desse homem que fez carreira artística na cidade, por ele achar que pode enganar a todos que acharam que ele merecia seus votos.

Cineclubes

Em uma parceria com o Ministério da Cultura, São Bernardo vai construir 55 cineclubes em diversos pontos da cidade. Sessenta por cento das produções exibidas serão nacionais, como uma forma de incentivo ao cinema brasileiro. Todas as sessões serão gratuitas.

No momento, 16 deles já estão em funcionamento em equipamentos da prefeitura que já existiam. O mais importante é o Photoramas, que fica no antigo Fórum da cidade, e onde fica hoje a Pinacoteca.

Saiba mais.

Moradores de rua

Não é de hoje que reclamo dos moradores de rua. Acho que eles deveriam ser tirados das calçadas, para sua própria proteção. O Estado se omite quando permite que pessoas sem condição alguma de tocar sua própria vida durmam nos cantos da cidade, sobre papelões e sob finos cobertores.

Há albergues para onde eles poderiam ser transferidos. Apesar disso, muitas dessas pessoas deixam de ir para lá por inúmeros motivos. Alguns pelo medo de serem roubados. Outros, porque não gostam do mal cheiro dos outros moradores. Isso significa que as condições não são as melhores nesses albergues, e algo deve ser feito para aprimorá-las. Também deve ser feito acompanhamento psicológico dessas pessoas para identificar soluções para seus problemas. O alcoolismo é freqüênte nessa população.

Esse foi o tema de duas matérias nos últimos dias, uma no Diário do Grande ABC, e outra no ABCD Maior.

Tags:

Viaduto da Lions – Ainda!

Viaduto da Lions às 16 horas de uma sexta-feiraEm novembro do ano passado eu já escrevi a respeito da que é talvez a obra mais importante em andamento em todo o ABC para melhorar o tráfego. No entanto, o viaduto na avenida Lions ainda não está pronto. Já deram desculpas de todo o tipo, mas não me sai da cabeça que há uma incompetência descomunal na condução desta obra. Passados seis meses da promessa de sua entrega, apenas duas faixas foram liberadas no sentido Santo André. E pior que isso: não há um engenheiro de tráfego na cidade capaz de programar o semáforo no cruzamento com a Vivaldi para liberar o trânsito antes dos cruzamentos anteriores, e assim aumentar a vazão de veículos.

O descaso da prefeitura neste caso é explícito: é só andar nesse trecho da cidade para perceber que o descaso com que a prefeitura trata dessa questão.

Além disso, preparem-se: se para construir um viadutozinho como esse eles já conseguem piorar o trânsito da cidade, imagine quando começar o rebaixamento da Lions: preparem-se pra perder horas com o carro parado.

Tags: