Arquivo por categoria Opinião

O mito do respeito do Brasil no exterior

Sinto uma certa pena daqueles que para defender o governo de Lula citam o tal respeito que o Brasil têm no exterior, que não existiria no passado. Esse mantra das esquerdas não passa de uma mistificação, uma frase de efeito usada como argumento que acabaria com qualquer discussão a respeito da qualidade da administração federal como um passe de mágica.

Na América do sul, o ex-presidente Lula causou problemas com sua política externa ao tentar buscar espaços para reforçar a hegemonia na região. Alguns países se queixaram do imperialismo brasileiro com a diplomacia norte-americana, conforme documentos vasados pelo Wikileaks confirmam. Um misto de arrogância com despreparo e falta de noções básicas do significado de democracia causaram esse imbroglio.

Somado a isso há o comportamento do ex-presidente que, por causa de um complexo quase de Édipo, queria se contrapor ao seu antecessor no cenário internacional, e causava constrangimentos ao discussar com líderes como Angela Merkel. Sua posição condescendente com o Irã demonstrou toda incompetência típica de quem assume com convicção um cargo para que não se preparou, mas sem ter consciência de suas deficiências.

Resta esperar que o atual governo seja mais pragmático ao menos nesse aspecto da administração. Chamar ditadores que desrespeitam direitos humanos achando que tá abafando não é atitude de quem vence eleições democráticas. Quem sabe no futuro o país não volte a ser respeitado por sua política externa?

O que quer o movimento por passe livre?

Os últimos dias foram tensos na cidade de São Paulo. Manifestantes sob comando do Movimento Passe Livre entraram em choque com a polícia militar na prefeitura da capital de SP.

Não é possível negar que esse as lideranças movimento usa estudantes para atingir seus objetivos políticos. Sua intenção é promover a revolução no sistema de transportes, estatizando as empresas que oferecem o serviço público, e sem que haja indenização aos proprietários. Uma mini-revolução socialista, por assim dizer. Ignoram, no entanto, que o que falta para que haja redução dos valores das passagens na cidade não é o excesso de capitalismo, mas sim a falta crônica de concorrência verdadeira, que poderia inclusive puxar para cima os padrões de qualidade dos transportes. Ignoram que a qualidade dos serviços em geral se deterioram quando passam a ser controlados por agentes públicos, que nem sempre estão

A reação mais comum das pessoas nesse caso é verociferar impropérios contra os policiais. Mas será que esse é o melhor meio de reinvindicar direitos? No site eles dizem ser contra a criminalização dos movimentos sociais. Mas é justo não reprimir indivíduos que tentam depredar propriedade pública? Quem deve ser responsabilizado por sua iniciativa de agir com violência contra agentes públicos?

O aumento foi alto, de 11%. Mas nem por isso tentar invadir edifícios públicos é a melhor opção para se fazer ouvido. Boas pessoas estavam lá, achando que a manifestação era válida, mas ignorando que sempre há aqueles infiltrados que querem se passar por vítimas ao serem atacados pela polícia, nem que para isso tenham que usar provocação para conseguir posar de mártires. Os vereadores Juliana Cardoso, Antônio Donato e José Américo, do PT de São Paulo, agiram cheios de boas intenções, conforme declararam aos jornalistas. Porém, sua atitude não pode ter contribuido para aumentar a confiança aos manifestantes, transmitindo a sensação de que poderiam transgredir as leis sem que fossem reprimidos?

Tragedia no Rio de Janeiro

É óbvia a constatação de que as autoridades públicas têm sido, no mínimo, incompetentes ao lidar com a trajédia de proporções diluvianas na serra do Rio de Janeiro. Sérgio Cabral, queridinho da imprensa, têm sido poupado de críticas, mas não há como evitar associá-lo à total falta de coordenação nas atividades de ajuda humanitária. Donativos simplesmente não chegam a quem precisa. Dinheiro público é apenas uma promessa de uma presidente que tenta demonstrar que serve ao cargo a que foi eleita. Corpos se acumulam nas ruas, em estado de putrefação, antes que os próprios moradores da região os enterrem para evitar o mau cheiro.

É lamentável constatar que as pessoas comuns é que ajudam quem mais precisa nesse momento de dor e desespero. E que boa vontade apenas não conta: têm que vencer a burocracia que a impede de chegar a quem já perdeu tudo: helicópteros do exército passaram o dia parados na Granja Comary, local de treinamento da CBF, para desespero até mesmo das equipes que os operam.

Os meios de comunicação solicitam à sociedade que ajudem de diversas maneiras, mas pecam passando ao largo do essencial, ao não pedir à sociedade que pressione os representes políticos a fazerem aquilo para que foram eleitos, ao invés de se deterem em uma avalanche de incompetência institucionalizada.

Frank Aguiar, a vergonha de São Bernardo

É uma vergonha a candidatura a deputado federal do ex-vice prefeito Frank Aguiar. Há dois anos, ele havia abandonado esse mesmo cargo para ajudar a eleger Luis Marinho em uma das campanhas mais caras do país, questão de honra para o presidente Lula, que tem suas origens como sindicalista na região.

Com essa candidatura, ele faz pouco da população que o elegeu na cidade. Diz que tinha saído só de brincadeirinha do congresso, e que não era realmente séria a idéia de assumir um cargo em São Bernardo do Campo.

Como cidadão, eu sinto vergonha da atitude desse homem que fez carreira artística na cidade, por ele achar que pode enganar a todos que acharam que ele merecia seus votos.

Moradores de rua

Não é de hoje que reclamo dos moradores de rua. Acho que eles deveriam ser tirados das calçadas, para sua própria proteção. O Estado se omite quando permite que pessoas sem condição alguma de tocar sua própria vida durmam nos cantos da cidade, sobre papelões e sob finos cobertores.

Há albergues para onde eles poderiam ser transferidos. Apesar disso, muitas dessas pessoas deixam de ir para lá por inúmeros motivos. Alguns pelo medo de serem roubados. Outros, porque não gostam do mal cheiro dos outros moradores. Isso significa que as condições não são as melhores nesses albergues, e algo deve ser feito para aprimorá-las. Também deve ser feito acompanhamento psicológico dessas pessoas para identificar soluções para seus problemas. O alcoolismo é freqüênte nessa população.

Esse foi o tema de duas matérias nos últimos dias, uma no Diário do Grande ABC, e outra no ABCD Maior.

Tags:

Viaduto da Lions – Ainda!

Viaduto da Lions às 16 horas de uma sexta-feiraEm novembro do ano passado eu já escrevi a respeito da que é talvez a obra mais importante em andamento em todo o ABC para melhorar o tráfego. No entanto, o viaduto na avenida Lions ainda não está pronto. Já deram desculpas de todo o tipo, mas não me sai da cabeça que há uma incompetência descomunal na condução desta obra. Passados seis meses da promessa de sua entrega, apenas duas faixas foram liberadas no sentido Santo André. E pior que isso: não há um engenheiro de tráfego na cidade capaz de programar o semáforo no cruzamento com a Vivaldi para liberar o trânsito antes dos cruzamentos anteriores, e assim aumentar a vazão de veículos.

O descaso da prefeitura neste caso é explícito: é só andar nesse trecho da cidade para perceber que o descaso com que a prefeitura trata dessa questão.

Além disso, preparem-se: se para construir um viadutozinho como esse eles já conseguem piorar o trânsito da cidade, imagine quando começar o rebaixamento da Lions: preparem-se pra perder horas com o carro parado.

Tags:

Bilhete único em SBC – Legal?

Cumprindo sua promessa de campanha, Marinho implementa o bilhete Legal, que serve para substituir os passes e o dinheiro no pagamento das passagens de ônibus.  Com ele, uma pessoa pode pegar uma segunda linha de ônibus caso o faça menos de 90 minutos depois de tomar o primeiro. Isso vai reduzir os gastos de quem toma duas conduções para chegar ao trabalho ou à escola. Nos finais de semana, esse tempo sobe para duas horas.

Segundo o prefeito, há negociações para integrar a rede de transportes públicos da cidade com a rede intermunicipal e com o metrô, com a finalidade de beneficiar aqueles que moram na cidade mas têm que se locomover a outras.

Infelizmente, esse novo sistema só começa a funcionar em agosto. A “inauguração” hoje é um padrão dos governos petistas de fazer seguidas inaugurações de obras que não foram implementadas. Além disso, o site da prefeitura fala sobre um cartão que deverá ser usado por crianças entre 3 e 5 anos de idade, como se suas mães ainda não os carregassem no colo.

O cadastramento será feito primeiro para idosos e pessoas com deficiências. Em uma segunda fase, serão feitos os cartões para os usuários de vale-transporte. Só então os estudantes poderão se cadastrar.

É uma iniciativa importante para a cidade que já carecia de uma evolução no atendimento aos usuários de transportes públicos. Agora resta aumentar a rede que hoje tem 370 ônibus para atender aos 800 mil habitantes.

Mais informações no site www.cartaolegal.com e pelo telefone 0800 771 0191.

Tags:

O princípio da impessoalidade da administração

Ontem foi publicada a notícia de que o PT entrou na justiça eleitoral contra um outdoor de homenagem aos governadores que trabalharam pela construção do Rodoanel. Olhando a foto na matéria do jornal, fica claro que se está puxando a sardinha para dois candidatos, Geraldo Alckmin, para o governo de SP, e José Serra, para o governo federal.

A verdade é que esse tipo de propaganda é totalmente desnecessária, e, mesmo sendo camuflada como homenagem, não esconde a verdadeira finalidade nessa época pré-eleitoral. Uma pergunta pertinente deve ser feita. Seria algum tipo de propaganda antecipada se houvesse sido feita no começo de 2009, quando ninguém era candidato oficialmente a nada?

Tudo isso é efeito de um mal muito grande que aflige o país, que é a pessoalidade na atuação dos governos. Torna-se necessário fazer marketing daqueles que estão no poder. Nos EUA, a única publicidade governamental permitida é para campanhas de saúde. Está na hora de seguirmos nossos amigos do hemisfério norte e acabar com essa indústria perniciosa que só faz esgotar os cofres públicos sem retorno algum.

Efeitos da promoção por mérito dos professores em São Paulo

Na comunidade de São Bernardo do Orkut está havendo uma discussão a respeito da greve dos professores e muita gente considera injusto o critério de promoção baseado no mérito implementado no estado de São Paulo. Como toda essa conversa é baseada completamente em achismo, resolvi escrever uma planilha onde é possível avaliar um caso limite.

Na planilha abaixo, separei os professores em cinco grupos, cada um contendo 20% do total. Os grupos também são classificados segundo a capacidade em passar no teste. Dessa maneira, o grupo A sempre vai receber a promoção quando puder, e o grupo B vai ganhar sempre que o A não puder recebê-la. O grupo E só vai receber promoção quando nenhum dos outros grupos puder recebê-la.

Calculei então a evolução dos salários usando as premissas acima.

Ano A B C D E
0 1 1 1 1 1
1 1,25 1 1 1 1
2 1,25 1,25 1 1 1
3 1,25 1,25 1,25 1 1
4 1,56 1,25 1,25 1 1
5 1,56 1,56 1,25 1 1
6 1,56 1,56 1,56 1 1
7 1,95 1,56 1,56 1 1
8 1,95 1,95 1,56 1 1
9 1,95 1,95 1,95 1 1
10 2,44 1,95 1,95 1 1
11 2,44 2,44 1,95 1 1
12 2,44 2,44 2,44 1 1
13 3,05 2,44 2,44 1 1
14 3,05 3,05 2,44 1 1
15 3,05 3,05 3,05 1 1
16 3,05 3,05 3,05 1,25 1
17 3,05 3,05 3,05 1,25 1,25
18 3,05 3,05 3,05 1,25 1,25
19 3,05 3,05 3,05 1,56 1,25
20 3,05 3,05 3,05 1,56 1,56
21 3,05 3,05 3,05 1,56 1,56
22 3,05 3,05 3,05 1,95 1,56
23 3,05 3,05 3,05 1,95 1,95
24 3,05 3,05 3,05 1,95 1,95
25 3,05 3,05 3,05 2,44 1,95
26 3,05 3,05 3,05 2,44 2,44
27 3,05 3,05 3,05 2,44 2,44
28 3,05 3,05 3,05 3,05 2,44
29 3,05 3,05 3,05 3,05 3,05

Fica evidente que após trinta anos, todo o corpo de professores no estado terá recebido a promoção até o limite máximo. Eu não considerei o efeito da aposentadoria e admissão de novos professores, mas creio que o resultado não será alterado significativamente.

Eu entendo as razões pelas quais esse mecanismo foi criado dessa maneira. Primeiro, você garante que as contas não vão estourar. Se a quantidade de professores que recebesse a promoção pudesse chegar a 100% todas as vezes, o efeito da avaliação se perderia em alguns anos. Além disso, o percentual do aumento não poderia ser de 25%.

Além disso, há o efeito de concorrência com outros professores, que tende a incentivar seu aprimoramento técnico.

Uma crítica constante é de que o aumento tem que ser dado a todos os professores. Minha opinião é de que não. Uma pessoa que tem melhores condições deve ser incentivada através de promoções e bonus. Do contrário, não há vantagem alguma em se destacar da maioria. E um dos grandes erros da educação no Brasil é colocar todas as maçãs no mesmo balaio. Separar alunos bons daqueles que têm dificuldades é humano com os dois grupos: é possível dar um tratamento melhor àqueles que precisam de reforço sem segurar aqueles que podem atingir níveis de excelência, o que seria uma maldade. Quantos gênios não perdemos no ensino fundamental e médio porque ministramos conteúdos apenas suficientes para que os alunos medíocres possam acompanhar? Esse mesmo argumento vale para os professores. Negar que há ótimos professores e péssimos professores é negar a individualidade humana. Quereremos premiar igualmente todos eles, inclusive aqueles que não alcançam as espectativas mínimas? Eu penso que não.

Tags: ,

Blog do Armandinho defende liberdade de imprensa – mas só pra ele

Ler o Blog do Armandinho, no ABCD Maior, não é nenhum exercício mental. Com um discurso beirando o infantil, diz que é a favor do controle do Estado sobre a comunicação no país, como ficou estabelecido nas resoluções da CONFECON.

Começa o artigo dizendo que liberdade boa é pra ele; para aqueles de quem discorda, censura, apesar de negar que seja isso o que deseja. E a crítica continua. Aqueles jornais que se atrevem a escrever sobre o governo Lula são chamados de PIG, uma sigla para um tal Partido da Imprensa Golpista, termo que eu lembro ter sido usado primeiro pelo Paulo Henrique Amorim, conhecido por malhar a oposição, qualquer que seja ela.

O papo pseudomarxista prossegue com ele defendendo o bolivarianismo. Gostaria que ele dissesse que considera a relação do governo venezuelano com a imprensa local um objetivo a ser buscado pelo país. Para poupá-lo de responder, basta dizer que ele a apóia, por ser um dos ítens da tal resolução.

Tudo isso é ridículo: nem ele nem qualquer dos presentes à conferência seriam capazes de propor tal controle estatal caso houvesse um governo mais à direita no poder. Tá aí de novo a liberdade pra mim, mas não pros outros. Inclusive para jornalistas, ao apresentar proposta de criar um Conselho que puniria jornalistas e similares por mal comportamento. Espero de coração que não passe. Porque eu quero ter a liberdade para ler o blog do Armandinho. Não que eu vá fazê-lo com frequência: o que ele escreve de engraçado já chega antes pra mim em correntes de e-mail.

PS.: Muito cara a farofa que temos que sustentar no planalto, não? Mas ela é regada a Romanée-Conti, porque a farofa de “pobre” é assim. Um luxo!